Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Por Mert Ozkan e Orhan Coskun

HASSA, Turquia (Reuters) - Aviões turcos atingiram posições de uma milícia curda apoiada pelos Estados Unidos na província de Afrin, na Síria, neste sábado, abrindo uma nova frente na guerra civil síria e aumentando as perspectivas de maiores tensões entre Turquia e Washington. 

A operação coloca Ancara confrontando soldados curdos aliados dos Estados Unidos em um momento no qual as relações entre Turquia e Washington - aliados da Otan e membros da coalizão contra o Estado Islâmico - parecem muito próximas de rachar.  

A movimentação da Turquia também pode complicar sua tentativa de melhorar os laçoes com a Rússia. Moscou exigirá nas Nações Unidas que a Turquia interrompa suas operações militares, disse um membro do comitê de segurança da casa alta do parlamento russo à RIA, neste sábado. 

Os bombardeios tiveram como alvo a milícia curda-síria YPG, disse uma fonte oficial sênior da Turquia. Um grpo rebelde apoiado pela Turquia na Síria, o Exército de Liberdade da Síria, também forneceu assistência à operação militar turca em Afrin, acrescentou o oficial. 

O YPG disse que algumas pessoas foram feridas nos ataques aéreos, mas disse que não está claro quantos. Não houve confrontos recentes entre forças turcas e o YPG, apenas conflitos esporádicos no limite da região africana, de acordo com Rojhat Roj, um porta-voz do YPG em Afrin. 

Neuer Inhalt

Horizontal Line


swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.










Reuters